Quinta-feira, 25 de Janeiro de 2007

Subscrevo inteiramente...

«E Soares?» Um dos aspectos mais confrangedores, talvez o mais confrangedor, do programa Grandes Portugueses, agora que se discutem as virtudes dos dez magníficos, é que o nosso século XX esteja representado por duas figuras de carga tão negativa como António Salazar, para uns, ou Álvaro Cunhal, para outros.Portugal, apesar do fascismo e da tentação totalitária de 75, conseguiu passar pelo século XX sem os extremismos que feriram fundo a Europa. Há, até, quem veja nesse nosso rés-vés com a História uma das razões do nosso atraso - falhámos a dor, não fomos obrigados a confrontar-nos com nós próprios, e teremos falhado por isso, também, o renascimento, o recomeço, que varreu a Europa nos anos 50 e 60.Paradoxalmente, Salazar e Cunhal surgem no programa da RTP como símbolos, menores é verdade, dos totalitarismos da sua época no Velho Continente, que apenas indirectamente nos tocaram.Salazar terá sido, para os que nele acreditam, o homem que nos defendeu dos males do século XX, que, como se sabe, incluíam a liberdade de expressão e a Coca-Cola. Cunhal, para os admiradores, foi o contrário, um lutador pela liberdade, pouco importando que passasse férias numa União Soviética em que, paredes meias, milhões sucumbiram porque não se submetiam ao jugo, ou simplesmente porque sim.O culto de figuras como Salazar ou Cunhal e o consequente reflexo dessa idolatria neste tipo de votações são relativamente normais.Já não é normal que as presentes gerações, precisamente as presentes gerações, não tenham percebido a figura que, apesar de viva - e essa será a sua principal desvantagem competitiva -, simboliza, melhor que todas, a vitória, embora tardia, da nossa modernidade - Mário Soares.O elogio de Mário Soares num programa destes não seria tarefa simples. Seria um elogio à democracia, com todas as fragilidades que a democracia sempre comporta, e seria um elogio, não à perfeição, mas à permanente, e sempre insatisfatória, tentativa de a obter. E do que os portugueses gostam mesmo é de "príncipes perfeitos". E nem falo de D. João II, um dos verdadeiros grandes portugueses e uma das últimas esperanças que nos restam de não passarmos pela vergonha de colocar no pedestal uma sinistra esfinge."(In, Diário de Noticias, por João Morgado Fernandes)Não posso deixar de transcrever tão brilhante interpretação! p.s. 76º lugar: Ricardo Araújo Pereira / 79º lugar: Hélio Pestana, que rídiculo... (refiro-me à votação obtida, não aos próprios claro)
publicado por planetamercuryii às 10:06
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. O «LiBlog» tem nova casa!...

. Cinco coisas que o Presid...

. Fez-se justiça!

. Os dados estão lançados.....

. Para sempre...

. Eu não tenho dúvidas!

. 8 anos...

. Eis a reentré!

. Obrigado Raul Solnado!

. 1958 - 2009

.arquivos

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds